You are here

ENVIOS URGENTES DE PEÇAS ECONOMIZAM MAIS DE US$ 300.000 EM PARALIZAÇÕES PARA O CLIENTE

Apagão em Baton Rouge

A Stupp Corporation fabrica uma ampla gama de tamanhos de tubos de aço personalizados. Às duas da manhã, no dia 19 de setembro de 2012, o gerente de manutenção da Konecranes, Stephen Doyle, recebeu uma chamada de emergência devido a uma falha catastrófica numa ponte rolante de 54 toneladas para bobinas na fresa espiral da empresa. A causa principal do acidente não foi determinada, mas os resultados foram evidentes. A estrutura do guincho foi danificada gravemente e a ponte rolante ficou completamente inoperável.

"Esta ponte é essencial para o funcionamento da empresa. Carrega bobinas de aço de 40 toneladas na máquina de fabrico de tubos e é o ponto inicial da produção na sua fábrica", disse Doyle. A equipa da Konecranes enumerou as peças necessárias para consertar a ponte: uma caixa de rolamentos e mais três das quatro placas que fixam o tambor na respetiva posição. O cabo de aço ficou totalmente destruído, mas constataram que a caixa de engrenagens ainda poderia ser utilizada. A previsão de entrega era de seis a oito semanas.

A equipa da Stupp fez uma reparação temporária, mas os supervisores de segurança negaram a respetiva autorização, uma vez que a finalidade principal da ponte consistia em elevar as bobinas de aço de 40 toneladas. A situação ficou num impasse.

Uma solução provisória

A Stupp precisava de uma alternativa enquanto as peças não chegavam. De acordo com Greg Newman, gerente de compras da Stupp, a equipa desenvolveu um método utilizando a sua empilhadora. "Não era a solução ideal, pois era necessário colocar um equipamento muito pesado carregado com uma bobina de 40 toneladas num piso que talvez não tivesse sido projetado para este tipo de carga", disse Newman. Esta opção exigiu mais mão de obra, tempo e dinheiro. "Tivemos de afastar as pessoas das suas funções, o que provocou custos de horas extras noutros projetos", disse Newman. Calculou que a alternativa da empilhadora aumentava em US$ 15.000 por dia os seus custos operacionais, porque o que geralmente era feito em duas ou três horas, agora necessitava de cinco ou seis.

Realizar um grande esforço pelo cliente

Stephen Doyle entendeu os riscos e recorreu à alta administração da organização Konecranes Parts para acelerar a entrega das peças necessárias. O pedido foi enviado da Finlândia no dia 25 de setembro e a ponte estava novamente em funcionamento no dia 12 de outubro. A consideração pela necessidade de reparação urgente transformou-se em muito mais trabalho da Konecranes na Stupp.